Vacina contra Febre Amarela – Tire suas dúvidas

/, Tecnologia/Vacina contra Febre Amarela – Tire suas dúvidas

Vacina contra Febre Amarela – Tire suas dúvidas

  • Page Views412
  • Curtidas1
  • Avalie este artigo12345

A Febre Amarela vem assustando muita gente, não é para menos, com uma letalidade muito alta, a doença que parecia controlada há alguns anos voltou a assustar e fazer inúmeras vítimas, veja as principais dúvidas sobre a Vacina respondidas pela Doutora Ana Escobar:

– Quem pode tomar a vacina da febre amarela?

A vacina está indicada para todas as pessoas de 9 meses até 60 anos de idade que não tenham nenhuma contraindicação.

– Quem não pode tomar a vacina? Quais as contraindicações?

1. Imunossupressão: Esta é principal contraindicação. Isso significa que as pessoas que por alguma razão estejam com o sistema imunológico comprometido por quaisquer doenças ativas que cursem com imunossupressão e/ou pelo uso de quaisquer medicamentos que levem à imunodepressão – como quimioterápicos ou corticoides em altas doses-  não devem receber a vacina.

2. Gestantes: APENAS as gestantes que moram em área de extremo risco, localizadas em 75 municípios do Brasil, devem tomar a vacina. Não há orientação para vacinar as gestantes que NÃO residem nestas áreas.

3. Alergia Grave ao OVO: Pessoas que tem alergia importante e grave ao ovo não devem receber a vacina.

4. Bebês com menos de 6 meses de idade: O vírus da vacina pode causar problemas neurológicos nos bebês pequenos. As mães que amamentam bebês com menos de 6 meses de idade também NÃO devem receber a vacina, a não ser em situações de risco muito específicas, uma vez que depois da vacina estas mães devem ficar pelo menos 10 dias sem amamentar.

O leite deste período deve ser desprezado, o que é uma pena. Por isso, recomenda-se que mães lactantes de bebês com menos  de 6 meses sejam individualmente  avaliadas para que se possa ponderar o risco e o benefício da vacina ante a interrupção da amamentação.

– A vacina causa muitos efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais mais comuns da vacina da febre amarela são os mesmos das outras vacinas: um pouco de dor no local da aplicação, dor no corpo, febre e mal estar. Importante lembrar que nem todas as pessoas apresentam estes sintomas.

– Quantas doses são necessárias para garantir proteção?

UMA dose protege a vida toda, segundo os estudos mais recentes. Por isso, quem já tomou pelo menos UMA dose da vacina na vida NÃO precisa se revacinar, mesmo que esta dose tenha sido ministrada há mais de 10 anos. A única exceção é para as crianças de 9 meses a 5 anos de idade. Quem recebeu uma dose neste período deve receber um reforço depois dos 5 anos.

– Recebi um certificado de vacina contra a febre amarela para viajar e lá consta que devo fazer uma dose de reforço depois de 10 anos. Isso está valendo?

NÃO. Não está valendo mais. Esta era a orientação antiga que foi atualmente reformulada. As autoridades de saúde reconheceram que apenas UMA dose é suficiente para garantir proteção.

– E a dose fracionada? Funciona?

 SIM. A dose fracionada da vacina, que começa em fevereiro de 2018 foi deliberada com o intuito de garantir proteção para um número maior de pessoas. Deve-se entender que a produção das vacinas contra febre amarela é limitada e não há como suprir as demandas de toda a população. Em vista disso, havia duas caminhos opções: vacinar integralmente apenas uma parte da população, deixando milhões de pessoas sem proteção; ou vacinar fracionadamente um número maior de pessoas, mais exatamente cinco vezes mais, quintuplicando a quantidade de gente vacinada e garantindo uma cobertura muito maior.

– Quanto tempo dura a proteção da dose fracionada?

Segundo os estudos realizados em Bio-Manguinhos/ Fiocruz a duração da vacina fracionada é de 8 anos.

– Isso é suficiente?

Sim. Em épocas de surtos funciona bastante. Imaginem que a febre amarela é transmitida pela picada do mosquito contaminado. Como este mosquito se contamina? Picando uma pessoa com o vírus. Assim, quanto maior o número de pessoas protegidas menor o número de mosquitos contaminados e consequentemente menor o número de pessoas infectadas. Resultado: consegue-se a contenção do surto naquele ano.

Conhecendo André Henrique

Mineiro, torcedor do América FC, blogueiro desde 2004, técnico em informática, designer e desenvolvedor WEB, desenvolvedor WordPress, Microsoft Certified Professional, Cronista, escritor e admirador de Friedrich Nietzsche.

Ver todos os posts

Contate-nos

Entre em contato com a gente.
  • Digite seu nome
  • Digite seu endereço de e-mail
  • Conte-nos sobre qual assunto deseja tratar
  • Digite sua mensagem
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Comente via Facebook

By | 2018-01-15T23:56:33+00:00 15 de Janeiro de 2018 às 23:54 hs|Atualidades, Tecnologia|0 Comentários